Como se adaptar a um mundo sem dinheiro

Rate this post

Olá! Eu sou Gustavo Cerbasi e hoje estou aqui para falar com você sobre o futuro do mundo sem dinheiro Pelo menos, sem o dinheiro da maneira que o conhecemos hoje

A cada dia que passa, estamos mais próximos de ver a extinção do dinheiro físico Não me refiro aqui apenas às cada vez mais raras moedas e cédulas em circulação, mas ao próprio dinheiro de plástico, os cartões, que também começam a cair em desuso As pesquisas de tecnologia para aplicativos que dispensam, dos processos de pagamento, o uso de senhas e informações de segurança, por exemplo, estão cada vez mais adiantadas, principalmente em países como Coreia do Sul e Japão A ideia de eliminar a intermediação de recursos, enfraquecendo bancos, e extinguir operações de câmbio, reduzindo os papéis dos bancos centrais, é um dos grandes focos da comunidade financeira internacional, que já desenvolve um sistema de pagamentos global inspirado em moedas como bitcoins, de valor universal, sistema esse chamado de blockchain É o início de uma era em que recursos universais serão criados a partir do valor do trabalho e utilizados para a venda de mercadorias de serviços para qualquer lugar do mundo

Sem bancos, sem tarifas, sem câmbio É a lógica do músico que poderá vender seus trabalhos diretamente aos fãs, sem que o dinheiro passe por intermediários como bancos, gravadoras e distribuidoras, uma realidade que só tende a se espalhar pelos mais diversos tipos de serviços no planeta No Brasil, a tendência não é diferente Hoje, os bancos concedem créditos a seus clientes, que, por sua vez, concedem crédito de confiança aos prestadores de serviços, que podem ser banidos do sistema em caso de cobranças indevidas Já contamos com lojas que reconhecem clientes por meio de aplicativos e vendem sem que você precise pegar a fila do caixa, ou viagens de Uber em que não perguntamos sequer o valor final da corrida

Mas, como nada é tão simples por aqui, precisamos ficar atentos aos riscos que o Brasil corre de ficar ainda mais distante das nações mais ricas do planeta em meio a esse boom tecnológico Pressões de sindicatos e lobbies contrários à inovação e defensores da manutenção do status quo escancaram nossa histórica resistência ao desenvolvimento, ao mesmo tempo em que escolas brasileiras, responsáveis pelas gerações futuras, optam por oferecer educação financeira por meio do uso de ferramentas cada vez mais próximas da extinção, como moedas, cédulas e cofrinhos Além disso, a própria população ainda exibe resistência em utilizar os meios digitais como pagamento É o temor de ser alvo de fraudes, mas que, devido à série de mudanças que temos visto, dá lugar a riscos ainda maiores Até porque, quanto mais o sistema financeiro investe em tecnologias para aumentar a segurança dos meios digitais, menos investe na segurança de agências e caixas eletrônicos

É preciso se adaptar Esteja preparado para as mudanças, pois elas estão acontecendo rapidamente, sem que muita gente dê conta Mas que ajudam a tornar a vida mais produtiva, disso não tenho a menor dúvida E você? Está se adaptando às mudanças para um futuro sem dinheiro? Compartilhe sua história ou fatos curiosos nos comentários desta página E aproveite para se inscrever no link logo abaixo, que, além de ver em primeira mão os vídeos deste canal, vou te enviar dicas e ferramentas para você aprender a cuidar melhor do seu dinheiro e ter mais qualidade de vida

Enriquecer é uma questão de escolha! Um grande abraço e até o próximo vídeo!