Consumo de Açúcar em Crianças: Existe um Limite?

5 (100%) 1 vote[s]

O açúcar é muito importante na dieta das crianças, uma vez que fornece energia de que necessitam ao longo do dia. No entanto, o consumo excessivo de açúcar pode desencadear doenças a longo prazo.

O consumo de açúcar em crianças é essencial, pois a sacarose ou a glicose fornecem energia ao corpo e à mente.

Mas deve haver um limite quando se trata de quanto eles podem consumir, certo?

Bem, sim. As crianças devem consumir apenas a quantidade necessária para crescer, sem o risco de doenças ou cárie dentária.

Durante os primeiros meses de vida, as crianças consomem açúcar através do leite (fórmula ou leite materno). Na verdade, o leite materno contém água, gordura, proteína e açúcar suficientes para que os bebês cresçam com os valores nutricionais corretos.

Quanto açúcar as crianças devem consumir?

Conforme as crianças crescem, sua dieta varia. Eles começam a comer alimentos com diferentes sabores e contribuições nutricionais.

Esses alimentos devem garantir o equilíbrio calórico e nutritivo essencial para permitir que as crianças mantenham um peso corporal saudável e se desenvolvam adequadamente.

No entanto, as crianças não devem consumir açúcar (exceto o encontrado no leite) até completarem 2 anos de idade.  Então, até completarem 5 anos, podem consumir até 15 gramas de açúcar por dia.

Dos 4 aos 14 anos de idade, o limite vai até 25 gramas por dia. A Organização Mundial de Saúde estabelece que o consumo de açúcar em crianças não deve ser responsável por mais de 10% de suas calorias diárias. Isso equivale a um máximo de seis colheres de chá por dia.

Riscos do consumo excessivo de açúcar em crianças

riscos do consumo de açúcar em crianças

Embora o açúcar seja necessário, ninguém deve depender dele. É verdade que fornece energia, boa saúde cerebral e ajuda a metabolizar as gorduras.

De preferência, deve ser obtido através de fontes naturais e com moderação. Devemos fazer um esforço para deixar de fora todas as bebidas açucaradas e doces.

Minimizar o consumo de açúcar processado evitará distúrbios e outros problemas de saúde em crianças, como obesidade, diabetes e problemas cardiovasculares.

Segundo a Organização Mundial da Saúde, no ano de 2016, havia mais de 340 milhões de crianças e adolescentes entre 5 e 19 anos de idade, com sobrepeso ou obesidade.

Quando consumido excessivamente, aumenta os níveis de colesterol, triglicerídeos, pressão arterial e causa danos ao pâncreas. Embora às vezes possa cessar nossa fome momentaneamente, pode desencadear diversas patologias a longo prazo, como hiperatividade, ansiedade e depressão.

Açúcar natural: o melhor!

A glicose é um monossacarídeo essencial ou um carboidrato simples que contém sacarose ou açúcar. Quando a consumimos, ela vai diretamente para a corrente sanguínea e fica lá.

Então, chega ao fígado para produzir energia, e o excesso é armazenado na forma de gordura. Daí a importância de evitar consumi-lo mais do que deveríamos.

O bom tipo de açúcar

O açúcar é geralmente relacionado a alimentos naturais e refinados. Seus bons nutrientes geralmente podem ser encontrados em produtos lácteos, na forma de lactose, também em frutas, legumes frescos e mel, na forma de frutose. Nestes casos, não há limite na ingestão.

Mel e xarope de bordo são açúcares naturais. Há também outros açúcares que você pode conhecer, que são stevia e taumatin. Açúcares artificiais (ou açúcares modificados, como alguns chamam) estão contidos na sacarina, ciclamato, aspartame, etc.

Pode ser encontrado em diferentes alimentos. Açúcar de cana ou o encontrado na fruta fornecem calorias na forma de carboidratos. No entanto, a maneira como os metabolizamos é completamente diferente.

O tipo ruim de açúcar

Como pais, devemos controlar o consumo de açúcares refinados ou processados ​​em nossos filhos.

Doces ou bebidas açucaradas contêm açúcar complexo, que vem da união de várias moléculas que compõem o amido. Quando os nossos filhos consomem estes excessivamente, eles colocam a sua saúde em risco e podem desencadear doenças, razão pela qual é nosso dever como pais estar no controle desta situação.

Açúcar em alimentos industrializados

É difícil determinar a quantidade de açúcar que uma pessoa pode ingerir quase sem perceber. Não saber a composição real das refeições que consumimos aumenta o risco de ingerir grandes quantidades de glicose.

Para obter as informações corretas, é importante ler os rótulos dos alimentos processados antes de consumi-los. Preste atenção, porém, porque essa informação nem sempre é clara ou visível.

Mais frequentemente do que não, 80% do açúcar que ingerimos vem de alimentos industrializados. Podemos não perceber porque alguns deles são rotulados como saudáveis ​​e inofensivos, e é por isso que o ponto acima é extremamente importante.

Tabelas de conteúdo nutricional são úteis

Tabelas nutricionais nos permitem ver o número de gorduras e açúcares que são incluídos em um produto para que possamos controlar as calorias que consumimos. Prestar atenção a esses rótulos é altamente benéfico, especialmente quando se trata de cuidar da saúde das crianças.

Estar ciente da quantidade recomendada de consumo de açúcar em crianças é essencial. Isso nos permitirá fornecer uma contribuição equilibrada dos nutrientes que seu corpo requer para o desenvolvimento adequado. Além disso, cuidar de nós mesmos e da nossa saúde servirá de exemplo para eles.

Você está ensinando seu filho a comer saudável?

Sua qualidade de vida é em grande parte determinada pelo seu estado de saúde. É por isso que é tão importante encorajar as crianças a se alimentar de forma saudável e desenvolver bons hábitos de exercício. A chave para conseguir isso é fazendo boas escolhas para eles quando se trata de refeições.

Como adultos, um dos nossos deveres mais importantes é ajudar nossos filhos a se alimentarem de forma saudável.

 

Dicas para ensinar as crianças a comerem de forma saudável

Se você ainda não souber ensinar seu filho a ter bons hábitos nutricionais, lembre-se destas recomendações:

1. Envolva-os na preparação de alimentos

Deixe seus filhos participarem do processo de compra de ingredientes e preparação de refeições. Dessa forma, eles se tornarão mais conscientes do que comem.

Você pode dar aos pequenos duas opções saudáveis ​​para que eles possam escolher o que mais gostam. Você também pode trazê-los para a cozinha e convidá-los a preparar receitas mais simples.

2. Mostre como a comida chega em nossas mesas

Além de levá-los ao supermercado para verificar as prateleiras, leve seu filho para um mercado ou fazenda local. A experiência de coletar frutas, extrair leite e obter sua própria comida vai mudar sua perspectiva. Uma boa dica que você pode colocar em prática é ter uma pequena horta em casa.

3. Prepare lanches saudáveis

Se as crianças encontrarem alimentos saudáveis ​​em abundância em sua cozinha, elas se acostumarão a eles. Faça dos alimentos que você quer que eles comam facilmente acessíveis. As melhores opções são pedaços de frutas, cenouras, bolachas e nozes.

4. Não se esqueça da água

Além de ter uma dieta sólida e equilibrada, é essencial que o corpo permaneça hidratado. Comer saudável também significa consumir muita água e sucos de frutas naturais ou smoothies.

Aproveite todas as oportunidades para apresentar seus filhos a novos alimentos igualmente saudáveis.

Ensine seu filho se alimentar de maneira saudável.

5. Dê o exemplo

As preferências alimentares dos seus filhos dependem em grande parte da sua. Eles aprendem seus hábitos desde o ventre. Quando você sai para comer em família, tente escolher opções mais equilibradas para que eles façam o mesmo no futuro. Liderar pelo exemplo é uma das melhores maneiras de motivar seu filho a ter um estilo de vida mais saudável.

6. Seja consistente e persistente

As crianças precisam experimentar novos alimentos mais de uma vez para serem atraídas por eles. Se eles não gostarem de uma comida na primeira vez que experimentarem, procure uma maneira diferente de prepará-la ou apresentá-la. Evite desistir quando as crianças recusarem uma refeição pela primeira vez. Talvez eles gostem mais em outra ocasião.

7. Fornecer quantidades razoáveis ​​de alimentos

Você deve levar em conta a idade de seus filhos antes de colocar um prato cheio na mesa. Não insista que as crianças comam tudo quando você as servir. Concentre-se apenas no fato de que elas comam alimentos saudáveis ​​e suficiente para atender às suas necessidades nutricionais.

8. Prepare as refeições em casa

Muitos alimentos que você compra no supermercado e em restaurantes não são saudáveis. Eles contêm açúcar adicionado e gorduras nocivas que você pode evitar cozinhando em casa. Se você não tiver tempo para preparar a comida diariamente, pode cozinhar com antecedência por vários dias.

9. Concentre-se na dieta geral mais do que em alimentos específicos

Só porque as crianças comem saudável não significa que nunca podem ter um hambúrguer ou cachorro-quente. O que importa é que sua base nutricional seja adequada e que uma porcentagem maior de alimentos saudáveis ​​seja consumida. Uma sobremesa ou doce também pode ser incluída no plano de refeições.

 

Cuide de sua saúde e de seus filhos e ajude-os a se tornarem responsáveis ​​por suas próprias escolhas com certa autonomia. Você lhes dará a base necessária, mas eles é que serão responsáveis por sua própria saúde no futuro.

Sou Marília Tannuri Verni – Mãe de 2 meninos (Ian – 11 anos e Lorenzo – 4 anos), publicitária, idealizadora do portal Grávida em Campinas e proprietária da loja infantil on line Petit Papillon Bebê & Criança. Uma apaixonada pelo universo infantil e por todas as chances que a maternidade nos proporciona.