Três cuidados antes de ler livros de auto ajuda | Oi Seiiti Arata 24

Rate this post

Oi! Seiiti Arata Continuando o papo do vídeo anterior, hoje nós vamos ver como os livros de auto ajuda podem nos auto prejudicar

E como reverter esse risco ao ter uma forma diferente de realizar a leitura 1 Correlação e causalidade É bem fácil criticar os livros de auto ajuda Tem pessoas que assumem um ar todo intelectual e dizem que não suportam manuaizinhos de como ser feliz e usar pensamentos positivos Tem gente que prefere “aprender com quem foi e fez” e daí elas vão atrás de biografias ou livros que contam a história de empresas de sucesso

Só que tem algo em comum tanto na literatura popular de auto ajuda e também nas biografias É o viés do sobrevivente Viés do sobrevivente é uma falsa percepção das coisas Tanto os livros de auto ajuda e as biografias estão cheias de relatos de dificuldades enormes que foram superadas E daí no final tudo deu certo e aparecem aquelas regrinhas pra seguir rumo à felicidade

Mas e com relação a todos os casos de quem seguiu exatamente todas essas regrinhas e mesmo assim fracassaram? Foram à falência? Não conseguiram superar uma depressão ou uma grande dificuldade? Bom, nós não ficamos sabendo a respeito simplesmente pelo fato de eles não escreverem livros a respeito Então quando nós encontramos livros e livros de auto ajuda (ou biografias ou estudos de caso, como você preferir), e aparecem os hábitos de quem tem sucesso, vamos sempre nos lembrar que podemos estar diante de uma correlação Não quer dizer necessariamente que todo mundo que seguir os passos recomendados sempre terá um resultado positivo 2 Efeito contrário No vídeo anterior sobre o pensamento positivo nós também vimos que existem alguns limites importantes a observar pra manter clareza de pensamento

O que queremos evitar é justamente o efeito contrário de ficar olhando pro espelho falando afirmações em voz alta do tipo “eu terei sucesso! Eu terei sucesso!!” e lá no fundo da consciência ter uma voz crítica dizendo “quanta bobagem!” Essa voz crítica automaticamente rejeita as afirmações positivas quando não existe coerência com a imagem que temos de nós mesmos, nossas crenças mais profundas Nós buscamos ser coerentes E apenas repetir frases motivadoras em voz alta não vai servir pra trazer uma mudança consistente Pode inclusive prejudicar a nossa auto estima porque haverá um conflito interno e uma busca de reforçar a imagem já existente de quem somos e atacar essas frases motivadoras Tem estudos publicados mostrando que esse tipo de afirmação pode causar o efeito contrário http://arata

se/w14z 3 Baixa qualidade de rigor científico Mais uma outra crítica é que muitos dos livros populares de auto ajuda não são escritos com um rigor científico baseado em evidências São anedotas de difícil comprovação: historinhas do que aconteceu com um amigo do autor quando ele era jovem E todas essas narrativas podem ou ser inventadas ou, mesmo quando verdadeiras, exageradas E mesmo nas situações em que é totalmente verdade, novamente temos o viés seletivo: apenas as histórias que confirmam as ideias do autor é que são selecionadas para aparecer no livro… enquanto os incontáveis casos em que a teoria não tem respaldo simplesmente não aparecem

Vou dar um exemplo, que talvez você conheça: o experimento de Objetivos de Vida na Yale University Diz a lenda (que é repetida várias vezes em dezenas e dezenas de livros, inclusive por autores bestseller bem reconhecidos no mercado) que em 1953 os estudantes de graduação da Yale University foram entrevistados pra saber se eles tinham clareza sobre seus objetivos de vida Apenas 3% dos alunos tinha essa clareza E daí duas décadas depois, quando os alunos foram contatados, foi descoberto que esse grupo de 3% que tinha objetivos claros e escritos haviam acumulado mais riqueza financeira do que todo o resto de 97% de outros alunos juntos E assim esse experimento foi usado em vários livros de auto ajuda como prova de que é importante ter objetivos bem definidos

Eu não estou aqui questionando a importância de RACIOCINAR E desenvolver uma lista de objetivos e as estratégias para alcançar esses objetivos é com certeza um ótimo exercício de raciocínio Entretanto, a história é falsa O tal do experimento nunca existiu Então quando nós fazemos a leitura, é importante sempre ter um filtro sobre o rigor científico do que está escrito

É a leitura ativa, buscando encontrar o que é útil, descartar aquilo que não é proveitoso, encontrar os ganchos que estimulam a busca de mais informação em outras fontes A leitura ativa é essencial para tudo, e com os livros de auto ajuda não seria diferente Podemos abrir um livro como por exemplo The Secret e realizar uma leitura simplista, imaginando que basta fechar os olhos e esperar que o Universo manifeste um carro novo diante de nossa garagem Essa é uma maneira de pensar na tal da lei da atração que não é muito útil por não estimular a nossa mudança de comportamento Ou podemos interpretar as ideias do livro de modo a entender que para darmos início ao processo de irmos atrás dos nossos objetivos nós primeiro devemos definir esses objetivos e acreditar que existe a possibilidade

Apesar de todas as críticas, ainda vale o provérbio de que o homem sábio consegue encontrar informação valiosa mesmo nas piores fontes E o homem tolo não consegue extrair nenhuma utilidade mesmo nas melhores fontes