Vale contrair empréstimos muito altos para expandir o seu negócio? – #CerbasiResponde

Rate this post

Olá, você que é empresário ou futuro empreendedor, o "Cerbasi Responde" de hoje é para responder uma questão enviada pelo Luiz Henrique Gomes, que diz o seguinte: Luiz Henrique, para você e para todos aqueles que têm um bom projeto ou um bom negócio em mãos, que certamente tem a oportunidade ou a necessidade de se expandir, se isso não for feito, vem a concorrência e ocupa o seu lugar, a orientação sobre o custo do endividamento ou o custo de capital quando tomado junto a banco, junto a outros investidores: quando é caro, quando não é? Existem duas análises a serem feitas aqui, uma é análise mercadológica, o marketing, que é a questão de justamente se você não ocupa esse espaço, o seu concorrente vai ocupar Esse concorrente ficando muito mais forte que você pode até vir anular o seu negócio, inviabilizar e você vir a falência

Em alguns aspectos eu tenho que avaliar não só se é lucrativo ou não, mas empatando o custo de capital se eu conseguir expandir a atividade com o passar do tempo, recuperar esse investimento ou esse custo e conseguir gerar lucros, eu estarei, talvez, com uma condição mais confortável Esse é o estudo mercadológico Existe o estudo financeiro que é você avaliar, fazer a chamada "análise de investimento": Você vai captar o recurso, no caso do Luiz Henrique, 2,05% ao mês, vai pagar esse empréstimo ao longo de um tempo, vai ter outros custos que é o custo, talvez, de usar parte do seu recurso para comprar equipamentos, para pagar salários, para manter esse espaço novo e todo esse custo vai ser comparado com um novo faturamento gerado por essa nova atividade, por essa expansão na sua atividade Se esse projeto se paga, ele deve ir adiante Isso é análise de investimento

Não necessariamente existem juros caros ou baratos Se você, Luiz Henrique, se você, empreendedor, fez a pesquisa de mercado, pesquisou diferentes bancos, pesquisou uma cooperativa de crédito, pesquisou todas as opções que você tinha e encontrou essa como sendo a mais viável, a mais barata, mais adequada para a sua situação, se essa opção mais barata se paga e ainda gera lucros a partir de um certo tempo, ela deve ser levada adiante É assim que se monta um negócio próprio porque mesmo que nesse primeiro momento você não esteja lucrando, você está criando a base necessária para, dentro de alguns meses, estar com um faturamento bem maior, com um lucro bem maior, com um serviço prestado para o seu cliente muito mais completo Então, minha recomendação é que você siga adiante Uma ressalva importante: Nós temos sempre que, ao projetar os números dos nossos negócios, considerar cenários previsíveis, cenários muito otimistas, vamos supor que a economia se expanda, que o número de clientes aumente muito em função dos novos serviços, e também cenários pessimistas

Vamos supor que a sua expansão não dê certo e que esse negócio se torne inviável depois de um certo tempo Seu planejamento tem que considerar que o cenário pessimista, tenha que ser um cenário suportável pela empresa Se o projeto não der certo, você tem que saber dar um passo atrás e aí um bom controle financeiro vai ajudar a detectar isso e saber a hora de retirar o time de campo Dito isso, conseguiu o recurso para expandir a sua atividade, com isso cobriu os custos e ainda teve alguma sobra para você, siga adiante porque é assim que se faz a expansão de qualquer negócio, e nesse caso, o nome que se usa não é endividamento O que você está fazendo é alavancagem do seu negócio, ou seja, você está usando recursos de terceiros como uma alavanca para aumentar a sua capacidade de entregar resultados para o seu cliente

Espero que tenha ajudado a você, Luiz Henrique, e a todos os empreendedores e que vocês tenham muito sucesso nos negócios com essas orientações e com outras que você pode encontrar no livro "Empreendedores inteligentes enriquecem mais" onde orientações sobre alavancagem, planejamento, análise de investimentos são colocadas com propriedade ali Sucesso a todos!